terça-feira, 19 de setembro de 2017

A procura da magia

Estava em busca da magia da vida e decidi procurar a justiça para que me ajudasse a encontrar.

Diante dela exclamei:

Óh Justiça!
Ensina-me os segredos da magia!

És tão grandiosa!

Suporta os mundos em perfeito equilíbrio…

Restauras a ordem entregando a cada causa o seu efeito…

Manténs-te neutra, sem interferir nem julgar, permanecendo fiel, entre os pratos da balança.

És tu quem fazes a eternidade do universo pelo retorno ao equilíbrio após as agressões ao silêncio…

És a respiração dos mundos e dos seres…

Então, sem interromper seu movimento pendular, ela se dirigiu a mim com firmeza e disse:

– Ouvi-te atentamente, meu nobre amigo, mas agora te digo:

Tudo que faço é fruto da Verdade, eu apenas equilibro o que ela revela.

É a ela que deves dirigir todo mérito. Se queres desvendar a magia procure a verdade.

Então busquei a  Verdade em toda parte e quando a encontrei lhe disse :

Óh Verdade!
És tão profunda!

Revela-me o segredo da magia!

Tu és reveladora dos mistérios e dos segredos humanos.

Tu trabalhas silenciosamente investigando as minúcias e revelando as reais intenções por traz do caos e da desordem.

Tu revelas os medos, as fraquezas e incertezas e retiras os conteúdos escondidos por traz dos símbolos e desnuda a essências das almas…

Mas também ilumina as maravilhas e belezas que se escondem nos corações humanos.

Então, a Verdade voltou-se para mim, fitou-me profundamente  e falou:

– Tudo que faço é fruto do trabalho do Amor.

É ele quem exterioriza as verdades através dos relacionamentos e conflitos. Eu apenas ilumino, simplifico e evidencio para que seja compreendido.

Se queres sentir a magia encontre o Amor.

Então busquei o amor por toda parte e ao encontra-lo exclamei:

Óh Amor!
Faz-me sentir a magia!

Tu és doce, generoso, manso e terno.

A todos compreendes e toleras, oferecendo a cada um a oportunidade de se expressar.

Amas a diversidade e se regozija com os relacionamentos, produzindo beleza, riqueza e fertilidade.

Tocando-me delicadamente o Amor disse:

– Ouvi-te carinhosamente, meu querido.

Mas quero que sintas que não sou nada sem a Harmonia.

É ela quem resolve os conflitos que eu gero ao permitir o relacionamento dos diversos e contrários…

Busque a Harmonia e encontrarás a magia.

Mas onde eu encontro a Harmonia?

– Por toda parte, meu querido.

Ela está sempre ocupada, mantendo as esferas em movimento.

Ela trabalha para o amor, mas também trabalha para a Verdade e para a Justiça.

Para que possas encontra-la terás que procurar dentro de ti, equilibrando as partes de tua própria natureza.

Então a verás refletida em toda parte sustentando os mundos, os corações e as almas.

Só então teus olhos serão capazes de ver a magia de Deus em todas as coisas desde as mais pequeninas até as mais grandiosas, e verás que a Natureza é em tudo semelhante e a mesma em toda parte.


E sentirás  justiça e beleza nos atos humanos…


sábado, 26 de agosto de 2017

Mundos opostos

Mundos opostos

Ela vivia num mundo
Seu mundo era diferente
E ele em outro vivia
Eram quase oponentes

No mundo que ela vivia
O clima era mais pesado
E todos que lá habitavam
Tinham que ficar virados

O mundo dele era bom
Clima suave e ameno
Muito longe da perfeição
Mas um lugar sereno

No meio dos mundos opostos
Havia um lugar deserto
Onde eles se conheceram
E se mantinham por perto

Cresceram se encontrando
Sempre nesse lugar
E foram se apaixonando
Até desabrochar

Era muito perigoso
O encontro era proibido
Mas sempre se dava um jeito
De se encontrar escondido

O amor sempre crescendo
Até não caber no peito
Viverem no mesmo mundo
Seria o ato perfeito

Seria isso possível
Com tanta perseguição
Já pensaram em quase tudo
Mas não viam solução

A vida imita a arte
E o faz com perfeição
Assim como no filme
Haverá uma salvação

O amor há de vencer
E Deus abençoar
A união desse casal
Que só querem se amar

Cigano Romani
Em 04/05 /17
https://www.facebook.com/CiganoRomani

Ps . : Direitos autorais reservados, compartilhe sempre revelando a fonte ®

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Os meus professores

"Os Professores precisam de uma Escola-Casa, precisam de fazer da sala de aula a sua sala de estar – e, na verdade, a sua cozinha, o seu jardim, o seu atelier inspiração.

Havia de existir, na Escola, quem fosse o Cuidador do Professor que lhe levasse, na primeira hora da manhã, flores frescas para a sala [e um café extra nos dias cinzentos ].

Os Professores não merecem aulas de noventa minutos, nem sequer merecem aulas. O dia a dia de um professor havia de ser passado onde e como ele bem quisesse, junto dos seus alunos-convidados, na sua casa-escola ou fora dela, nesse espaço maravilhoso que é a escola-jardim, a escola-rua, a escola-mundo.

Os Professores precisam de ter, uma vez por semana, Conselhos Amorósicos que lhes falem de compreensão e esperança e happy hours todos os dias; precisam de sentir-se aprendizes junto das crianças e de poder mudar de profissão quando deixarem de estar apaixonados pela infância e pelo que fazem.

Os Professores precisam de poder errar, de não ter metas rígidas a cumprir, de fazer da escola uma brincadeira de crianças, no que de mais sério, proveitoso e transformador esta encerra.

Mais do que ensinar, os Professores precisam de inspirar, precisam de se sentir livres e poderosos, tranquilos e entusiasmados, cada manhã, para que, ao fim do dia, as nossas crianças também se sintam assim.

Precisam de recuperar as forças e o desejo para abrir as janelas de par em par [ e tantas vezes quebrar as grades de preconceitos e crenças ] e respirar o ar fresco, sem medo do arrepio que vem com a mudança.

Os Professores precisam de Centros de Recursos Positivos repletos de ferramentas para a mochila das horas difíceis, precisam de um Plano de Apoio ao Estudo ao longo da vida sobre o que lhes põe os olhos a brilhar.

Os Professores precisam de querer levar trabalho para casa, não ser obrigados a fazê-lo.

Os Professores precisam de abrandar o ritmo, largar as rédeas e ser levados ao colo, sim. Precisam de ser ouvidos, acarinhados e salvos da avalanche que a infância [ ou a juventude ] multiplicada por vinte consegue ser.

Precisam de ter onde [ e com quem ] dividir angústias e somar contactos, de ter mais poesia nos seus dias e relançar os dados da equação da educação – torná-la integral, diversificada e significativa para as crianças destes tempos.

Os Professores precisam de avaliar sorrisos e ser avaliados pelo número de vidas que tocam, precisam de um Ginásio para a mente onde haja espaço para treinar a flexibilidade do pensamento, onde possam relaxar os músculos da calma e onde redescubram o ritmo acelerado de um coração que está vivo.

Os Professores precisam de receber em dobro tudo que dão para que nunca se sintam fonte sem água, essa que acalma a sede [ de tudo ] das nossas crianças. Precisam de uma Cantina onde se sirvam bolinhos da boa sorte todos os dias, onde haja sempre disponível chá que aqueça as mãos frias dos Invernos do ano lectivo.

Precisam de ter direções solares e Ministérios movidos a eólicas para que as energias sejam sempre renováveis, livres de emoções tóxicas e sentimentos poluentes- ou então aprenderem a fazer a sua própria central ecológica.

Os Professores precisam de um Livro de Ponto(s) – onde registem os pontos de interrogação em cada desafio lançado, e os pontos de exclamação em cada fim de dia cansado. E onde coloquem os pontos finais no desânimo e práticas obsoletas, onde possam fazer as pausas necessárias entre parágrafos longos demais, e escrever as orações que lhes devolvam a fé na missão que escolheram para a sua vida.

Precisam de um Livro em Branco que se encha, cada Setembro, ( ou em cada Primavera!) de cores vibrantes que são a expressão única de cada criança e de cada viagem que com elas fazem; um livro de cujas páginas saiam só notas de música, uma sinfonia tocada a múltiplas mãos e inteligências, mais ou menos (des)afinada, mas cheia de emoção, aprendizagens e sempre, sempre original".

(Mariana Bacelar)


 http://academiadeparentalidade.com/2017/04/20/escola-professor-precisa/

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Sobre o tempo

"Nós somos duração (ou, pelo menos, «duro desejo de durar», como Paul Éluard defendia). Quer dizer, trazemos em nós a memória e a presença de tempos muito diversos e isso, por muito que nos custe, é um dom. Conhecer-se é tomar consciência desses tempos que coexistem em nós, mesmo no seu contraste. Gostaríamos que a vida fosse mais linear e harmoniosa, não tivesse a marca daquele solavanco ou daquela ferida, não tivesse atravessado aquele estremecimento. É verdade, para bem e para mal, aquilo que Camus escreveu: «O homem é o único animal que se recusa a ser o que é.» Mas em nós coexistirão sempre o breu e a lâmpada, o tesouro e o barro, e a atitude não é mudar aquilo que não podemos mudar, mas perceber que a ambivalência, em certo grau, também é uma respiração que nos pertence. Bem desejaríamos poder travar ou modificar o tempo. Porém, o importante não é ser perfeito: o fundamental é ser inteiro. Trata-se, assim, de integrar, na composição que fazemos da existência, a diversidade, a fragmentação e o contraste. E os pequenos triunfos dão-nos fortaleza para olhar as grandes humilhações, e as dificuldades vividas oferecem-nos sabedoria para olhar de outra maneira para tudo o resto. As experiências de liberdade ampliam a capacidade e a esperança para suportar os momentos em que a perdemos; e as experiências em que nos sentimos aprisionados consolidam a resistência, a força e até o sentido de humor para vivermos os tempos de liberdade. Há, portanto, que afastar a tentação do cinismo e aceitar que somos feitos efetivamente destes materiais tão diferentes e que tudo isso é matéria de vida e de dádiva".

(José Tolentino Mendonça)

daqui:

 http://www.estradaclara.pt/index.php/2016/09/12/725/

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Perecer, germinar e florir

Se for para se enterrar que seja para virar semente e renascer. Então, na primavera se tornar flor a colorir o mundo e, no outono, se transmutar em doce fruto a alimentar a humanidade”.
O yoskhaz

Lindo pensamento, que nos faz refletir sobre o verdadeiro sentido da Páscoa. Morrer, renascer, transformar e aprender. Crescer a cada morte e a cada renascimento. Sem esta transformacao profunda e súbita que é simbolicamente representada na idéia da morte, nossos avancos e conquistas são lentos.

As memorias dos erros do passado nos aprisionam e sempre reclamam seu lugar trazendo uma certa inseguranca. Somente a idéia radical de um novo começo rompendo com habitos  e sentimentos enraigados, pode nos dar de fato uma nova chance.

Pode ser uma experiencia amarga, mas a alegria e o frescor da juventude do novo ser que nasce será um impulso revigorante para a alma.

Podemos esperar que as diversas mortes venham a nos surpreender ou podemos ir ao encontro dela e nos reinventar totalmente fazendo surgir um ser totalmente novo e revigorado, mesmo que para isso tenhamos que deixar alguma coisa de lado por um tempo.

Feliz Feliz Páscoa
João Sergio

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Quem Eu Sou?

Fiz este Post para meus alunos pedindo que identificassem os números. Achei legal compartilhar com vocês.

Calma!  Se você já tem a resposta é porque não entendeu direito a pergunta.  Afinal esta é a pergunta mais difícil de responder do Universo,  e talvez nem haja uma resposta.
Perguntei a um Operário e ele me disse que era um eficiente trabalhador, honesto e cumpridor de suas obrigações, que no que ele faz eu podia confiar. Ele sabe colocar pedra sobre pedra e construir grandes obras. Mas que não duvidasse da capacidade e honestidade dele, porque sua reação seria severa.
Perguntei a uma Jovem e ela me disse que era bela e sensível, que podia sentir o frescor e o perfume das flores, se encantar com o barulho dos pássaros e dos riachos. Que se apaixona facilmente e se deixa encantar pela vida, mas que espera sempre que as pessoas reconheçam a sensibilidade que coloca na vida. Ela sente cada coisa e percebe tudo através deste sentimento, mas se aborrece facilmente quando não é correspondida.
Perguntei a um Cientista e ele me disse que era sábio, que conhecia todas as leis da natureza e que era capaz de decifrar todos os enigmas. Sua maior paixão são os mistérios e sua mente se perde nas reflexões a tal ponto que ele parece se desligar de tudo, mas sempre encontra a formula certa e a solução para todos os problemas. Senti uma certa vaidade nele mas não quis contrariá-lo.
Então perguntei a um Monge e fiquei muito Surpreso com a simplicidade de sua Resposta. "Eu Sou"
E você, já teve a coragem de fazer esta pergunta  ?

segunda-feira, 27 de março de 2017

ESTADO VIBRACIONAL - Pesquisas, Técnicas e Aplicações

Queridos amigos,
descobri recentemente na biblioteca da escola de medicinas orientais que frequento, este livro que explica como funciona nossa energia pessoal e evidência os fluxos bioenergéticos com o meio envolvente. Refere práticas para harmonizar a energia interior e práticas centrifugas e centrípetas, ora para harmonizar o exterior com a nossa energia, ora para absorver energias de algum local saudável.

Além disso explica muito bem a necessidade de tomar consciência de acordo com a sensibilidade, o veiculo de manifestação, a interpretação, a leitura energética... Porque é importante ter percepção aguçada e clara das próprias energias e das energias que atuam dentro do individuo mas que não lhe pertencem directamente. Qual a influência que os outros têm em nós? Principalmente aqueles que nos são mais próximos pelos laços do amor.

Há algum tempo que ando para escrever aqui sobre D1 e E1 porque creio que é possível expandir o âmbito deste tipo de desafios e experiências para além do simples facto duma pessoa verbalmente intrometer-se na nossa vida (D1). Consegui perceber que durante anos fui uma personalidade bastante influenciável e lutei inconscientemente contra interferências energéticas imperceptíveis naquela época. Atualmente no 4ºciclo de E1, mais consciente dessas invasões emocionais e mentais, a que todos estamos sujeitos, quer de outras pessoas, outros seres, locais, quer até de vidas passadas, vou aos poucos ganhando autodominio, aprendendo a gerir os desequilíbrios.

Recomendo leitura sem sobra de dúvida.
Beijo no vosso coração
Rute

quinta-feira, 16 de março de 2017

A Prova de Fogo

Quando estamos passando serias dificuldades, costumamos dizer que estamos vivendo uma provação, ou uma prova de fogo. Aprendemos  que as adversidades são como o esmeril que irão provar se nossa alma é de ferro ou de barro.

Vejo agora de forma diferente. 

As adversidades podem não ser a prova, mas sim as lições, que estão nos ensinando a vivenciar a escassez e a dificuldade, e a obter o máximo diante do mínimo, a exercitar nossa inteligencia e nossa sensibilidade diante da vida e das pessoas.

A prova mesmo não acontece na escassez, porque para ser uma prova é preciso haver opções de escolha, e na escassez não temos outra escolha. 

A prova seria a fartura e a abundancia, quando tudo vai bem e nos sentimos seguros e confiantes.

É fácil ser econômico quando não se tem recursos, ter compaixão com as pessoas quando sofremos as mesmas injustiças que elas, sermos eficientes e rápidos quando não temos muito tempo, sermos  cuidadosos quando sabemos que estamos em terreno minado...

Difícil mesmo é quando tudo é fartura e abundancia, quando temos poder, virilidade, juventude, beleza e energia sobrando.

Será que lembraremos dos que não tem recursos quando estivermos sentados a uma mesa farta?  Será que lembraremos dos injustiçados quando tivermos o poder para mudar as coisas e fazer a nossa vontade se impor sobre os demais? Como será que agiremos diante do poder capaz de oprimir os inimigos e eliminar as ameaças?

Esta, meus amigos,  é a verdadeira prova de fogo para qualquer ser humano!

Ser um Papa por exemplo, é a maior prova de humildade. Ser um grande empresário, um governador, um presidente, ou mesmo um pai, um chefe ou qualquer posição em que as circunstancias nos confira o poder de mudar a direção das coisas e impor nossa vontade sobre os outros.

São gigantescas provas de fogo que irão testar de fato se nossa alma é capaz de sentir a vida ao seu redor, e compartilhar suas energias e sabedoria,  ou se deixar cair na ilusão do poder individualista e totalitário.


João Sérgio

domingo, 12 de março de 2017

Estimulo e Motivacao

Muitos acreditam que o conhecimento é adquirido quando leem uma lição ou um Livro ou quando ouvem uma orientação.

Mero engano. Isso é só um estimulo.

É o alimento bruto que precisa ser ainda digerido.

Existe uma diferença entre estimulo e motivação. Estimulo vêm de fora e nos toca, e pode até despertar uma motivação. Mas motivação (motivo para a ação) é algo que vem de dentro como um motor que nos move em direção a um objetivo.

O Mestre estimula e espera que o aprendiz se motive.

O conhecimento é algo que extraímos de dentro de nós quando o colocamos em pratica e buscamos respostas para nossas dúvidas e isso requer a motivação que vem da sede de conhecimento.

Funciona parecido com o que ocorre com um animal ruminante que precisa digerir o alimento já absorvido.


A medida que experimentamos e observamos, vamos quebrando as resistências impostas pelas nossas crenças limitantes permitindo que nossa Alma assimile e incorpore a essência do conhecimento e o transforme em sabedoria.

sábado, 4 de março de 2017

O jogo das bolinhas em movimento

São 9 bolinhas.

Uma de cada cor e cada uma com um número.

Vc pode até decorar o significado de cada uma delas, mas isso não vai ter utilidade, porque a vida é um jogo de malabares  em equilíbrio e movimento.

Para aprender é preciso praticar até ficar um craque.

Só em movimento as bolinhas comecam a fazer sentido, umas interagindo com as outras.

As respostas devem brotar expontaneamente do inconsciente. Como aquelas mensagens que só se consegue ler através do movimento. Só com muita prática...

Somente assim se pode compreender o jogo do universo, que é puro movimento.

Por isso tem tanta gente que entende de números mas não da alma, e poucos verdaderamente  mestres em numerologia, tão cegos quanto aqueles que lhes consultam.

Numerologia é uma ciência quantica!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A VIDA INFINITA

Ficamos encantados quando vemos nossos filhos fazendo aquilo que fizemos, falando coisas que dissemos e nos repetindo. Parece que estamos revivendo nossas experiências através deles. Nossos pais e avós deviam sentir o mesmo porque quase tudo que fazemos ou dizemos tem um pouco do que aprendemos com eles. 

Nossos mestres então ficariam maravilhados ao nos ver repetir as mesmas expressões que eles tanto tentaram nos fazer compreender, como se tivéssemos nos apropriado delas. 

Quantos ditados, historias, anedotas e provérbios. Quantas lições e ensinamos passamos adiante como se as tivéssemos inventado, e já nem nos lembramos mais de onde vieram.

Mas na verdade eles também aprenderam com seus ancestrais e nos repassaram, acrescentando algo de sua própria experiência, exatamente como fazemos hoje com nossos filhos, amigos, alunos e todos os demais com os quais nos relacionamos.

Nossas verdades não nos pertencem, pois herdamos da cadeia de relacionamento que nos precederam. Pensando melhor, temos sim algum direito a reivindicar, porque aderimos e acrescentamos algo nosso antes de passar o bastão adiante.

Então podemos refletir que a vida é uma cadeia de relacionamentos hierárquicos e Inter penetrantes oriunda da mente infinita que doa a vida às suas criaturas, emanando as inspirações primarias que se propagam em estímulos em uma espécie de cadeia descendente, gerando oportunidade e inspiração para que cada ser acrescente a ela sua própria experiência. 

Os Seres que estão mais próximos do cume recebem essa essência mais pura decodificando-a na diversidade de seres em raios hierárquicos fazendo assim a energia descender e se multiplicar.

Vivemos a nossa vida particular, mas ao mesmo tempo somos veículos da grande corrente hierárquica das muitas vidas que fazem parte de nossa cadeia. 

Abaixo de nós estarão aqueles a quem cativamos e acima de nós aqueles que cuidam pessoalmente para o sucesso e alegria de nossa vida, para assegurar que a grande corrente seja abundante e infinita.

Espiritualidade é despertar a consciente desta cadeia, abandonando a ideia ridícula de que alguém neste mundo pode viver isolado, e então propagar as boas inspirações colaborando ativamente na grande corrente do Bem.


domingo, 12 de fevereiro de 2017

A MENSAGEM E O MENSAGEIRO

Queridos colegas mestres da Numerologia da Alma, há momentos em que o mestre se obriga a romper o silêncio, para enfatizar as verdades ocultas.
Somos mensageiros, transportamos conhecimentos e ensinamentos, e dirigimos nossas palavras a quem busca desvelar segredos e mistérios. 
Como já repeti por inúmeras vezes, e não custa voltar a mencionar, os segredos são para ser guardados, mas os mistérios, para serem revelados. 
Os nossos Mestres nos acompanham, projetando suas visões mentais. Eles nos veem, nos ouvem e sabem o que pensamos e sentimos. 
São eles que nos encaminham seus discípulos, que buscam ajuda ou precisam de orientação. Logo, quem chega a nós, desejoso de adquirir conhecimento, não veio ao acaso, mas por sugestão do Mestre.
O nosso trabalho é retirar esses seres da cegueira espiritual, e devolver-lhes a visão que jamais deviam ter perdido, por conta das ambições pelas ilusões do plano físico. 
A função do mestre é muito penosa, por ter de participar de cada etapa do aprendiz, que, no início, se debate para se libertar das amarras que o prendem à matéria. Ele sofre com o aprendiz, e lamenta o tempo perdido por esses seres ansiosos por descobrir os mistérios, mas que não são capazes de perseverar.
Há uma frase antiga, de um grande escritor e pensador brasileiro, Rui Barbosa, que diz: 
De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.” 

Quem, no exercício do seu mestrado, ao contemplar o mundo atual, não se manifestaria com tais palavras, caso  tivesse a sabedoria do "grande Rui"! E dizer que este sentimento foi expresso há cerca de 100 anos, quando os acontecimentos eram bem diversos dos atuais.

Não precisamos recuar tanto no tempo, para perceber em que dilema nos metemos, diante da tamanha facilidade de promover essas mesmas nulidade de que falou Rui Barbosa. Recentemente, o escritor e pensador Umberto Eco, pouco antes de sua morte, ao receber o título de doutor honoris causa, na Universidade de Turim, afirmou que, as redes sociais dão o direito à palavra a uma "legião de imbecis" que antes falavam apenas "em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade". 

Segundo Umberto Eco, a TV já havia colocado o "idiota da aldeia" em um patamar no qual ele se sentia superior. "O drama da Internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade", acrescentou.

A humanidade atingiu um tamanho grau de insensatez que, a verdade inventada pela mente de "qualquer imbecil", logo se transforma numa verdade inquestionável, adotada por outros tantos e muitos imbecis, que não sabem do que estão falando.

A cultura está sendo massacrada pela tolice e pela ignorância, promovidas pelos meios de comunicação e divulgadas por esse instrumento de poder dos idiotas, conhecido por Facebook. A tola mentira se transforma numa inquestionável verdade, ao ser promovida pela Rede, termo que define essa interação mundial de pensamentos populares.

O mau uso da ciência e da tecnologia é uma ameaça constante ao futuro da humanidade, seja pelo uso do conhecimento em artefatos de guerra, perigosos à sobrevivência física da humanidade, seja pelo emprego em forma de invencionices absurdas e mentirosas que fragilizam e atoleimam a mente humana. 

O momento por que passa a vida na Terra é muito sensível e delicada. Muitos se ocupam de monitorar os cometas que passam raspando a superfície do planeta ou os OVNI que singram os nossos céus, cada vez com maior sem cerimônia. Aos mestres espirituais cabe a vigilância com o que pensam as criaturas, e de que forma esses pensamentos distorcem ou desviam os caminhos que conduzem o planeta à sua evolução cósmica. 

Quando nos pomos a alertar sobre os cuidados com a irresponsabilidade espiritual, que ameaça o futuro da humanidade, ainda que igrejas e templos estejam cheios de devotos e crentes, a maioria desdenha dos vaticínios que pregam o extermínio do processo evolutivo da Terra. 

Acontece que o perigo que a humanidade enfrenta não é a morte física, resultante de contaminação nuclear ou ingestão de alimentos envenenados por adubos e agrotóxicos, ou até mesmo por guerras sem fim, mas a morte espiritual. Esta é a que se consuma com a desistência dos Mestres de continuar tentando despertar essas almas adormecidas, que insistem em sonhar com riquezas e fantasias, que servem para disfarces e festas, e não para a expansão da consciência de nossas almas. 

O papel dos mestres, no entanto, é jamais desistir, seguir adiante, despertando um a um, aqueles que estão desiludidos por somente sonhar e não obter resultados. O exemplo dos mestres vale mais que mil palavras. As palavras são as mensagens dos Mestres, e que cada mestre carrega, como mensageiro que é, a serviço do seu Mestre.

A vaidade é um perigo, a ser afastado do caminho. Quando surge um elogio, ele precisa ser direcionado para a mensagem, jamais para o mensageiro. E, se formos capazes de mais do que, simplesmente, entregar a mensagem, ajudar o destinatário a decifrar a mensagem, melhor ainda. 

Somos tomos mensageiros, apenas mensageiros. Se recebermos elogios, que saibamos aceitá-los por nossa condição de condutores das mensagens, e não por sermos autores das mensagens. Não somos a mensagem e nem autores da mensagem, mas simples e humildes mensageiros. 

Assim, e só assim, podemos almejar por um futuro mais promissor para a humanidade. Entregando mensagens e conduzindo os seus conhecimentos até os que se dispõem a aceitá-las. Sem cansaço, sem impaciência e sem acusações, caminhemos em nossa eterna e gratificante missão de mestres e discípulos dos nossos Mestres Espirituais.







segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Mergulhados na experiencia


Se somos de fato espirito e essência, sem forma nem limites, ao mergulhar na experiencia da forma e da emoção é natural que nos deixemos encantar, nos entorpecer e embriagar.

Como esperar que um jovem índio não se apaixone por um cavalo selvagem desejando doma-lo e possui-lo?

Como esperar que uma jovem donzela não se apaixone por um rapaz belo corajoso e viril?

Como esperar que o empreendedor não se apaixone pelas oportunidades de negócios desafiadores?

Como esperar que o artista não se encante frente a uma imagem inspiradora?

Como esperar que a mãe não se apaixone pela doce e frágil crianca que a vida lhe entrega em seus braços…

Somos assim, mergulhados na experiencia, mas buscando encontrar algo que nos eleve acima dela.

Em cada tempo algo nos encanta e nos aprisiona.

Já fui prisioneiro das brincadeiras, das donzelas, das conquistas juvenis..

já fui prisioneiro do dever, dos negócios, da tecnologia,

Já fui prisioneiro dos estudos, dos debates calorosos, das palestras,

Já fui prisioneiro dos relacionamentos e dos amores...

Pensas que agora  já sou livre?

Ainda não,

Pois agora sou prisioneiro desta sede de liberdade... 

Caçador de Mim
Milton Nascimento

Por tanto amor
por tanta emoção
A vida me fez assim
Doce ou atroz Manso ou feroz
Eu, caçador de mim...

Preso a canções
Entregue a paixões
Que nunca tiveram fim
Vou me encontrar Longe do meu lugar
Eu, caçador de mim...

Nada a temer Senão o correr da luta
Nada a fazer Senão esquecer o mêdo...
Abrir o peito À força numa procura
Fugir às armadilhas Da mata escura...

Longe se vai Sonhando demais
Mas onde se chega assim
Vou descobrir O que me faz sentir
Eu, caçador de mim...

Abrir o peito À força numa procura
Fugir às armadilhas Da mata escura...
Longe se vai Sonhando demais
Mas onde se chega assim
Vou descobrir O que me faz sentir
Eu, caçador de mim...

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Dos sonhos

"Como se manifestam os sonhos? Há um mundo arquetípico, um mundo numérico superior e abstrato que está mais além dos atributos de cor, forma, tamanho, etc. É neste mundo de arquétipos que estariam os sonhos que se vão plasmando até à sua manifestação. Mas os sonhos, segundo os filósofos clássicos, não são produto dos homens, sendo antes prévios aos mesmos. Os sonhos, como arquétipos, teriam existido desde o começo de todas as coisas".
 
(Jorge Angel Livraga)
 
 
 http://www.revistafenix.pt/como-se-concretizam-os-sonhos/

sábado, 7 de janeiro de 2017

Tempo de acordar, tempo de brilhar,
tempo de inspiração,
Tempo de realizar.

Um tempo para a luz,
um tempo para as sombras da noite,

Mas quando chega o amanha?
quanto dura uma noite,
quanto dura um dia?

Senhor, porque me abandonastes...

O sol vai brilhar amanhã.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

VERSOS ÁUREOS DE PITÁGORAS

                                                                      PERFEIÇÃO

                                               Ao despertares, bem disposto, cuida logo
                                               Em pensar nas ações que farás esse dia.
                                               Ao vir do sono sobre os olhos languescentes, 
                                               Várias vezes revê cada ação desse dia:
                                               Em que pequei? que fiz? Cumpri o meu dever?
                                               Repassa de um em um teus atos e, em seguida, 
                                               Censura-te, se erraste, e, se acertaste, exulta.

            (Versos de Ouro de Pitágoras, traduzidos para a língua portuguesa por José Oiticica)